NOTA PÚBLICA de apoio ao GEDMMA e ao Prof. Horácio Antunes de Sant’Ana Júnior diante dos atos de ameaça e calúnia

O Colegiado do Curso de Licenciatura em Ciências Humanas do Centro de Ciências Humanas, Naturais, Saúde e Tecnologia – CCHNST – Campus Pinheiro, vem se manifestar para repudiar o ato que ocorreu no dia 31 de janeiro, e que ainda está tendo repercussões no sentido de caluniar e ameaçar os pesquisadores e professores do Grupo de Estudos: Desenvolvimento, Modernidade e Meio Ambiente (GEDMMA) e mais diretamente o Prof. Dr. Horárcio Antunes de Sant’Ana Júnior.

Segundo relatos de funcionários do Campus Dom Delgado (São Luís) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), no dia 31 de janeiro deste ano um grupo de indivíduos apareceu no Centro de Ciências Humanas (CCH) e passou a fixar e a distribuir panfletos com teor de ameça e calúnia contra o GEDMMA e ao prof. Horácio.

Como um dos desdobramentos destacamos a manifestação que ocorreu no dia 05 de maio na comunidade Cajueiro (uma das comunidades pesquisadas pelo GEDMMA), que levou vários homens para a frente da residência de um casal de idosos a fim de pressioná-lo a deixar sua casa para que haja prosseguimento das obras da construção de um porto no local. No dia seguinte ao ato começou a circular nas redes sociais de forma anônima outra carta, intitulada “carta aberta da comunidade do Cajueiro ao senhor Horácio Antunes”.

Assim, os membros do Colegiado de Ciências Humanas do CCHNST vem com esta nota repudiar tais atos e demonstrar o apoio e respeito ao GEDMMA e ao professor Horácio. O GEDMMA, grupo vinculado ao Departamento Sociologia e Antropologia (DESoc/CCH) e ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCSoc/CCH), vem desde 2005 realizando pesquisas no território que abrange as comunidades da área rural da Ilha de São Luís, que demandam a criação da Reserva Extrativista de Tauá-Mirim. Tal demanda acaba colocando as comunidades numa situação tensa diante de interesses econômicos voltados para a região. O GEDMMA, através de seus pesquisadores, vem defendendo e fundamentando as demandas das comunidades através de pesquisas sérias e sistemáticas, apresentando intensa e reconhecida produtividade acadêmica.

Assim, reconhecemos e apoiamos o trabalho que tem sido feito por nossos colegas da UFMA no sentido de valorizar o papel da universidade na relação entre conhecimento, mediação e respeito aos direitos do indivíduo e das comunidades, de acordo com nossos princípios democráticos e constitucionais, e fazendo valer inclusive o direito de liberdade de opinião e de pesquisa.

Por fim, também desejamos e cobramos que as autoridades busquem identificar e punir os autores de tais atos.

Pinheiro, 16 de maio de 2017

NOTA PUBLICA

> Ações da GEDMMA